Sunday, February 15, 2009

14 de Fevereiro, dia dos namorados ou dia das modas?

Nas vésperas de 14 de Fevereiro de cada ano e na própria data, tem se assistido à uma decoração vermelha e branca das montras das lojas e é notória a afluência maciça de pessoas às lojas em busca de presentes para os seus (as) parceiros (as). Nada contra! Mas o que sempre me pergunto nessa ocasião é se as pessoas sabem qual é o motivo de Celebração de tal data e se “beberam do espírito da coisa” (como diriam os Brazucas) e inculcaram a mensagem que a data ou efeméride traduz?

Os comerciantes, alguns deles até podem conhecer o significado da data, mas a questão é obter lucros com a ocasião, nada contra também! Não sei quando é que em Moçambique se começou a celebrar a data, mas verdade seja dita se formos inquirir às certas pessoas porque é que 14 de Fevereiro é dia de São Valentim e por inerência dia dos namorados, podemos notar que algumas delas somente celebram a data porque os mídia falam dela, porque ouvem falar com outras pessoas, e porque é montado um aparato publicitário em torno da data. Essa questão remete-me para as modas. Já dizia Barthes (1967) citado pelo saudoso professor José Negrão no seu artigo” Repensando as Modas de Desenvolvimento Rural” datado de 1997 que a moda não tem lógica, tem poética e por isso apaixona, e é transportada aos mais recônditos lugares do mundo. Apesar de o Professor Negrão ter escrito sobre a questão de se repensar os modelos de desenvolvimento rural, creio que o problema que ele levanta em torno das modas pode servir para olhar para a azáfama que verifica-se a cada 14 de Fevereiro, porque quem não celebra o dia 14 de Fevereiro, não comprou presente para o seu parceiro (a), ou acha que é um dia como qualquer outro é visto como tendo ficado no lado frio da história.

12 comments:

poesia said...

Os responsáveis pela "mundialização” do –dia- dito de S. Valentim, são os mesmos que converteram movimentos sociais, culturais e políticos em produtos para um mercado unidimensional. Che Guevara é um exemplo, talvez o mais conhecido.
Mercantilizar afectos é aparentemente inócuo e dá milhões!
Estou em falta consigo mas não me parece que este seja o espaço ideal para liquidar a dívida
Abraço

Nyikiwa said...

Não sei de que dívida fala Agry. Levantas um aspecto importante: a globalização. Não sou muito apologista de "one size fits all". Acho que o que enriquece o mundo é a diversidade, porque é que temos que ser parte de um mercado unidimensional?

poesia said...

Justamente, falo do direito à diferença e à diversidade cultural. É aqui que bate o ponto
Tudo se mercantiliza. A expressão unidimensional tem a ver com a perspectiva de H Marcuse quando referia que a publicidade nos persegue até à alcova e tudo se reduz à sacrilização dum mercado cada vez mais devorador e alienante.
A dívida tem a ver com dizer algo mais que um mero agradecimento pela recepção do excelente trabalho que tive a sorte de receber.

Nyikiwa said...

Muito obrigada pelo elogio a minha tese Agry!

Matsinhe said...

Consumismo puro; moda e show off apenas. O amor deve ser celebrado todos os dias, a toda hora. A convenção do dia 14/02 como dia dos namorados deve ter saído da cabeça de um especialista em Marketing contratado por uma empresa que queria atingir o segmento de românticos reais e de ocasião...

Nyikiwa said...

Consumismo puro mesmo! Sera que as pessoas que correrram pelas lojas em busca de presentes no 14 de Fevereiro ainda lembram-se da data?

X!mb!t@nE said...

Hehehehe, estas de volta! De momento, nada tenho a acrescentar ao debate.

PS: ha um desafio para ti no Xim, passa ver.

Nyikiwa said...

Sim, de volta mana! Passo já, já por lá para ver qual é o desafio que me colocas.

Beijo!

Madjuze Waca Mate said...

Vania...gr8 stuff...keep it up...I love it.

Nyikiwa said...

Thanks Madjuze waca Mate!

Chacate Joaquim said...

É no que dá ser se "Jecador" até o Natal muitos fazem festa quando na verdade são ante cristo mas...

Bayano Valy said...

para quem como eu cresceu num mundo anglófono, fico surpreendido com a ingenuidade e credulidade dos moçambicanos. é que cresci a saber que 14 de fevereiro era o dia do amor e não dos namorados. aqui e em portugal dá-se ênfase nos namorados que as pessoas trocam presentes mais em função da proximidade e intimidade física em relação ao presenteado. assim fica problemático, pois não?
ouvi dizer que a prática no país começa nos finais da década 80 e inícios dos anos 90, introduzido pelo proprietário do sheikh, yok chan. acho que yok disse namorados e não amor talvez mais para comercializar a ideia. o engraçado é que no brasil a data não é celebrada. os brasileiros têem o seu dia dos namorados em junho (?).