Tuesday, December 16, 2008

Maputo: polícia vs Ladrão

A onda de criminalidade que regista-se na cidade de Maputo não dá tréguas mesmo aos agentes da lei e ordem. Ontem, mais um polícia e por sinal membro sénior da PRM foi baleado. No espaço de menos de uma semana é o quarto elemento da PRM que é baleado por criminosos ainda à monte.


Criminosos invadem esquadra e baleam mortalmente polícias, até onde isto vai parar? Se a polícia que é supostamente o garante da lei e da ordem é a primeira a ser atacada, quiçá o cidadão comum? Existe um sentimento quase que generalizado de insegurança e de vulnerabilidade entre as pessoas face ao crime na cidade de Maputo.


Algumas correntes de opinião avançam a possibilidade de se declarar um estado de sítio, mas na minha opinião é preciso ponderar essa medida porque acarreta consequências na mobilidade e nos compromissos das pessoas, assim como na economia.

4 comments:

X!mb!t@nE said...

Nyikiwa, os ultimos acontecimentos fazem lembrar-me das brincadeiras de infancia de policia e ladrao. Lembras que todos queriam ser policias para pôr os malfeitores atras das grades?

Hoje, decerto que muitos quererão estar efectivamente (já que as más linguas dizem que ladrpes e policias estao amigados)do outro lado do jogo.

Ironia à parte, entristece-me ver pessoas, sim pessoas, porque acima de tudo a policia são pessoas a serem alvo de bandidos, não importa as razoes de tais atitudes.

Chacate Joaquim said...

Olha Nyikiwa, o estado está numa situação de grande incerteza, está tudo escuro o poder foi tomado pelos larápios que se acham no direio de tirarem vida dos outros impunemente porque ai da quele polícia que se atrever! será também atirado.

veja que a economia, a mobilidade e outros compromissos das pessoas só é possível quando há garrantias da segurança de pessoas e bens, assim estamos inibidos da liberdade já viu isso?

Nyikiwa said...

Exactamente Chacate! Sem seguranca nao ha condicoes para se desenvolver muitas actividades. Muitos doadores recuam face a situacoes de instabilidade politica, violencia e falta de transparencia. Vejamos que depois da guerra civil, Mocambique recebeu muito fluxo de investimento estrangeiro.

Chacate Joaquim said...

É nisso que não pensamos Nyikiwa, o meu maior problema nisto é que desde o chefe de estado até ao servente (na administração pública) ninguém para e auto ver-se o problema é sempre dos outros por isso vamos trocar o Ministro ou o Comandante x y porque é nuca o problema é conceptual (político) é sempre operacional!