Friday, January 2, 2009

Falha do Sistema de Escolha Múltipla ou Falta de Preparação dos Alunos?

O presente artigo surge por um lado como fruto do interesse que nutro pelos temas relaccionados à educação e instrução, e por outro lado porque foram recentemente publicados os resultados dos exames da 12ª classe do sistema nacional de ensino. O índice de reprovações na 1ª época de exames da 12ª classe rondou os 70%, facto que me fez pensar em torno da problemática.

As explicações sobre os motivos do índice retumbante de reprovações gravitam em torno de três cenários, nomeadamente: uma avançada por alguns estudantes auscultados que atribui culpa ao sistema de avaliação baseado na múltipla escolha, introduzido no País em 2008. A segunda explicação é avançada pelo sector da educação que defende que os estudantes não prepararam-se devidamente para os exames, daí terem averbado muitas reprovações. A última explicação é dada pela Organização Nacional de Professores (ONP) que defende que o sistema de múltipla escolha impede os estudantes de mostrarem as suas reais capacidades, pois limitam-se a assinalar a alternativa que lhes parece correcta sem desenvolverem e mostrarem o seu raciocínio. Importa realçar que a posição da ONP sobre o sistema de avaliação baseado na múltipla escolha foi proferida antes mesmo da publicação dos resultados.

O meu interesse no presente artigo não é legitimar uma e outra posição das acima apresentadas, mas analisa-lás. A desculpa apresentada pelos estudantes parece-me “desculpa de mau pagador” ou se preferirmos “um macaco quando não sabe dançar diz que o chão é que está torto”. Recorri a estes dois adágios populares para mostrar que para mim os estudantes estão a justificar-se com base na história de Adão e Eva, pois Adão quando interpelado por Deus, disse que Eva é que o oferecera o fruto proibido.

A posição do sector de educação também alinha no mesmo diapasão da explicação dos estudantes, porém, importa notar que os nossos estudantes pouco ou nada fazem para terem bom rendimento escolar, apesar de muitas facilidades que têm a seu dispôr, tais como: a internet e bibliotecas na cidade de Maputo. Falo da cidade de Maputo porque a peça de reportagem que vi, fazia menção às pautas de exame publicadas nas Escolas Secundária Josina Machel e Francisco Manyanga.

A explicação avançada pela ONP a meu ver levanta uma parte do problema porque os exames de múltipla escolha limitam a capacidade dos estudantes de mostrarem o seu potencial, uma vez que o estudante dispõe em cada pergunta de quatro alternativas para responder à questão. Será que se continuassemos com o anterior sistema de avaliação os resultados teriam sido melhores? O que é que a 2ª época nos reserva? Esperemos para ver se a culpa do índice retumabnte de reprovações é do sistema de múltipla escolha recentemente introduzido nos exames do ensino secundário, ou falta de preparação por parte dos estudantes?


Nyikiwa

2 comments:

X!mb!t@nE said...

Professores, alunos, exame... de quem é a culpa, agora nao importa, mas esses resultados sao um escandalo digno de fazer rolar algumas cabeças. Nenhuma desculpa justifica este cenario.

Chacate Joaquim said...

Nykiwa, teriamos dúvidas se o cenário fosse abitual mas estes conscidem com o novo modelo de correcção da avaliação! eu me questionaria se estes resultados fossem a uma disciplina. aí sim, precisariamos de perícia. Neste caso as mudanças foram implementadas sem pré-teste o que esperavamos?